Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Repsol recusa US$ 5 bi da Argentina pela expropriação da YPF

Conselho administrativo foi unanime ao considerar ‘insatisfatória’ proposta para compensar perda de 51% da empresa

Álvaro Campos, da Agência Estado,

26 de junho de 2013 | 18h36

MADRI - O conselho administrativo da Repsol rejeitou nesta quarta-feira, 26, por unanimidade a proposta de US$ 5 bilhões do governo da Argentina para compensar a empresa pela expropriação, no ano passado, da sua fatia de 51% na YPF. De acordo com a gestão da petroleira espanhola, a oferta é "insatisfatória".

A proposta do governo argentino daria à Repsol uma participação de 47% em uma nova companhia com direitos de exploração de 6,4% no campo de Vaca Muerta, além de US$ 1,5 bilhão em dinheiro e bônus, que só poderiam ser investidos no projeto.

Para Repsol, o valor de US$ 5 bilhões foi estimado pela Argentina. Entretanto, a espanhola acredita que essa avaliação "foi construída com base em ativos sobrevalorizados, com valores longe daqueles praticados no mercado em transações recentes".

Além da oferta da Argentina ter sido considerada "insatisfatória", se a Repsol aceitasse a proposta ela teria de desistir de um processo legal de US$ 10,5 bilhões contra o governo argentino. Hoje a empresa disse que gostaria de novas negociações com a administração da presidente Cristina Kirchner.

"Nós esperamos que o governo argentino mantenha uma atitude aberta ao diálogo, negociando por meio dos canais corporativos adequados, com a serenidade necessária e o equilíbrio que representa uma compensação justa e o fim dos processos sobre essa expropriação", disse a empresa em nota.

(As informações são da Dow Jones.)

Tudo o que sabemos sobre:
ArgentinaEspanhaRepsolYPF

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.