carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Repsol tem lucro líquido de US$ 1,74 bi em 9 meses

A O grupo hispano-argentino de energia e petróleo Repsol-YPF SA anunciou um aumento de 5,0% em seu lucro líquido para 1,76 bilhão de euros (US$ 1,74 bilhão) nos primeiros nove meses de 2002, em relação ao 1,68 bilhão de euros em igual período do ano passado. A receita operacional no período teve queda de 18% para 27,32 bilhões de euros (US$ 27,01 bilhões), de 33,11 bilhões de euros em 2001. A Repsol conseguiu reduzir sua dívida quase pela metade nos primeiros nove meses para 8,74 bilhões de euros (US$ 8,64 bilhões), de 16,56 bilhões de euros em 2001.A companhia não forneceu um detalhamento sobre o terceiro trimestre, porém os resultados em nove meses mostram um lucro líquido de 460 milhões de euros (US$ 455,0 milhões) nos três meses até o final de setembro, quando comparado ao resultados da companhia no primeiro semestre de 2002. Entre janeiro e setembro de 2002, a Repsol registrou 2,75 bilhões de euros (US$ 2,71 bilhões) em atividades de desinvestimento, inclusive 2 bilhões de euros (US$ 1,97 bilhão) decorrente da venda de sua participação na Gas Natural.A divisão de exploração e produção da Repsol registrou um lucro líquido de 1,2 bilhão de euros (US$ 1,18 bilhão) nos primeiros nove meses, uma queda de 47% em relação a 2001. A empresa atribui esse declínio aos baixos preços do petróleo cru e a "excepcional " situação econômica e financeira da Argentina. A precária situação econômica da Argentina também contribuiu para uma queda de 49% no preço médio do gás, que foi congelado em pesos, após a desvalorização da moeda em janeiro.A Repsol recebe cerca de 40% de sua receita a partir da Argentina. A unidade de refino e comercialização teve um lucro líquido de 604 milhões de euros (US$ 597,3 milhões) em nove meses, um recuo de 49%, devido à mudança "desfavorável" nas margens de refino internacional.

Agencia Estado,

12 de novembro de 2002 | 08h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.