Reservas do Uruguai podem cair abaixo de US$ 1 bi

As reservas do Banco Central do Uruguai ameaçam cair abaixo de US$ 1 bilhão, de aproximadamente US$ 1,5 bilhão no fim de junho e de US$ 3 bilhões no final de 2001. As reservas ficaram em US$ 1,07 bilhão na terça-feira, de US$ 1,471 bilhão registrado em 28 de junho, de acordo com o site do banco. O presidente do Uruguai, Jorge Batlle, começou a adotar a flutuação livre do peso ante o dólar em 20 de junho, acabando com a política de banda do câmbio, numa aposta de conter a fuga de reservas. Mas o pequeno país, de três milhões de pessoas, continua a sofrer os efeitos tanto da crise econômica e financeira da Argentina quanto dos recentes problemas econômicos do Brasil. O Fundo Monetário Internacional (FMI) concordou recentemente em acrescentar US$ 1,5 bilhão à linha de crédito existente de US$ 770 milhões para o Uruguai, numesforço de conter maiores estragos provocados por seus países vizinhos. Para diminuir o déficit fiscal do país e continuar atendendo ao FMI, Batlle também implementou um programa de aumento de receita de impostos e corte de gastos. No fim deste mês, o secretário do Tesouro dos EUA, Paul O´Neill, fará uma parada em Montevidéu durante uma visita de três dias ao Brasil, Argentina e Uruguai.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.