ADEK BERRY/AFP
ADEK BERRY/AFP

Reservas internacionais da China caem para o menor nível desde 2011

Queda de US$ 28,5 bi das reservas chinesas levou alguns analistas a acreditar que Pequim terá de permitir uma desvalorização maior do yuan em breve

Reuters, O Estado de S.Paulo

07 de março de 2016 | 16h37

As reservas internacionais da China caíram em US$ 28,57 bilhões em fevereiro, ligeiramente menos do que esperado e aliviando a queda de janeiro, o que sugere que o banco central chinês está recuando com suas intervenções para apoiar o yuan conforme a fuga de capital desacelera.

Ainda assim, as reservas da China caíram pelo quarto mês consecutivo, e o nível de US$ 3,20 trilhões é o menor desde dezembro de 2011, mostraram dados do banco central nesta segunda-feira.

Economistas consultados pela Reuters previam queda de US$ 30 bilhões das reservas, dos US$ 3,23 trilhões do fim de janeiro.

As reservas internacionais da China são as maiores do mundo, mas o ritmo no qual elas estão sendo reduzidas levou alguns analistas a acreditar que Pequim terá que permitir uma desvalorização maior do yuan em breve, ou recuar com a liberalização e apertar controles de capital.

O yuan se estabilizou em fevereiro após movimentos voláteis em dezembro e janeiro, ajudado em parte pelo dólar mais fraco e pelas expectativas menores de alta dos juros nos Estados Unidos.

Mais conteúdo sobre:
ChinaPequimYuanDólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.