finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Reservas podem passar de 20 bilhões de barris

Estimativa de geólogos inclui outros poços na região

Nicola Pamplona, RIO, O Estadao de S.Paulo

09 de novembro de 2007 | 00h00

As reservas das águas profundas na Bacia de Santos podem ultrapassar os 20 bilhões de barris de petróleo e gás, segundo estimativas de geólogos consultados pelo Estado. Além de Tupi, a Petrobrás tem duas outras descobertas na região, o campo de Carioca, no bloco BM-S-9, e um poço no BM-S-10, ainda sem nome. O volume estimado de reservas é resultado de estudos da empresa de geologia HRT Solutions e do US Geological Service (USGS), órgão do governo americano, antes da confirmação do campo de Tupi.Entusiasta das buscas a reservas abaixo da camada de sal, o geólogo Márcio Mello, presidente da HRT, disse recentemente ao Estado que estudos técnicos na região indicavam existir pelo menos 20 bilhões de barris de óleo e gás. Ainda em 2000, o USGS já falava em volume semelhante, tendo como base estudos probabilísticos. No ano passado, relatório da consultoria americana IHS afirmava que "as descobertas em Santos podem mudar a percepção sobre todas as bacias brasileiras". O texto indicava o Brasil como o país mais atrativo para a indústria de petróleo.A busca por petróleo abaixo da extensa camada de sal que separa a rocha geradora do petróleo brasileiro das reservas conhecidas atualmente, menos profundas, começou de forma tímida há cerca de três anos. Na época, a previsão de grandes reservas era vista com desconfiança pelo mercado. A Agência Nacional do Petróleo (ANP), porém, já levantava a possibilidade de haver uma "nova Bacia de Campos" abaixo das reservas conhecidas atualmente.A primeira descoberta na região ocorreu em agosto de 2005, no bloco BM-S-10 e foi bastante comemorada pela estatal, que vislumbrou a abertura de uma nova fronteira exploratória no País. Problemas de engenharia, porém, levaram a Petrobrás a redirecionar os esforços para os outros dois blocos na região. No início de 2006, a empresa anunciou o sucesso do primeiro poço de Tupi, que se tornou, assim, o centro das atenções.Desde então, três outros poços foram perfurados no local. Todos atingiram reservatórios de petróleo e gás, com índice de sucesso pouco comum. Em agosto, o Estado publicou reportagem indicando que o anúncio de grandes volumes de petróleo em Tupi estava próximo. Na ocasião, o gerente de estratégia e portfólio de exploração e produção da Petrobrás, Eduardo Molinar, afirmara a analistas do banco Credit Suisse que os resultados eram animadores.No início de setembro, a britânica BG confirmou a descoberta do campo de Carioca, que deve ampliar o potencial produtor da região. Os dois projetos são próximos, o que facilita os investimentos na infra-estrutura de transporte da produção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.