Reservas podem passar de 20 bilhões de barris

Estimativa de geólogos inclui outros poços na região

Nicola Pamplona, RIO, O Estadao de S.Paulo

09 de novembro de 2007 | 00h00

As reservas das águas profundas na Bacia de Santos podem ultrapassar os 20 bilhões de barris de petróleo e gás, segundo estimativas de geólogos consultados pelo Estado. Além de Tupi, a Petrobrás tem duas outras descobertas na região, o campo de Carioca, no bloco BM-S-9, e um poço no BM-S-10, ainda sem nome. O volume estimado de reservas é resultado de estudos da empresa de geologia HRT Solutions e do US Geological Service (USGS), órgão do governo americano, antes da confirmação do campo de Tupi.Entusiasta das buscas a reservas abaixo da camada de sal, o geólogo Márcio Mello, presidente da HRT, disse recentemente ao Estado que estudos técnicos na região indicavam existir pelo menos 20 bilhões de barris de óleo e gás. Ainda em 2000, o USGS já falava em volume semelhante, tendo como base estudos probabilísticos. No ano passado, relatório da consultoria americana IHS afirmava que "as descobertas em Santos podem mudar a percepção sobre todas as bacias brasileiras". O texto indicava o Brasil como o país mais atrativo para a indústria de petróleo.A busca por petróleo abaixo da extensa camada de sal que separa a rocha geradora do petróleo brasileiro das reservas conhecidas atualmente, menos profundas, começou de forma tímida há cerca de três anos. Na época, a previsão de grandes reservas era vista com desconfiança pelo mercado. A Agência Nacional do Petróleo (ANP), porém, já levantava a possibilidade de haver uma "nova Bacia de Campos" abaixo das reservas conhecidas atualmente.A primeira descoberta na região ocorreu em agosto de 2005, no bloco BM-S-10 e foi bastante comemorada pela estatal, que vislumbrou a abertura de uma nova fronteira exploratória no País. Problemas de engenharia, porém, levaram a Petrobrás a redirecionar os esforços para os outros dois blocos na região. No início de 2006, a empresa anunciou o sucesso do primeiro poço de Tupi, que se tornou, assim, o centro das atenções.Desde então, três outros poços foram perfurados no local. Todos atingiram reservatórios de petróleo e gás, com índice de sucesso pouco comum. Em agosto, o Estado publicou reportagem indicando que o anúncio de grandes volumes de petróleo em Tupi estava próximo. Na ocasião, o gerente de estratégia e portfólio de exploração e produção da Petrobrás, Eduardo Molinar, afirmara a analistas do banco Credit Suisse que os resultados eram animadores.No início de setembro, a britânica BG confirmou a descoberta do campo de Carioca, que deve ampliar o potencial produtor da região. Os dois projetos são próximos, o que facilita os investimentos na infra-estrutura de transporte da produção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.