Reservatórios do NE superam expectativas do governo

O nível dos reservatórios que abastecem as usinas hidrelétricas das regiões sob racionamento continua subindo, o que confirma as expectativas mais otimistas do governo em relação ao fim das medidas de economia de energia. No Nordeste os lagos superaram na segunda-feira o porcentual esperado pelo governo e nas regiões Sudeste e Centro-Oeste o nível dos reservatórios está dentro da previsão, ou seja, o volume de águas chegou a 38,88%.Para o fim de janeiro, a expectativa é de que o nível chegue a 48,2% da capacidade no Sudeste/Centro-Oeste. Esse volume estará bem próximo à meta de 52% de água, o volume mínimo considerado pela Câmara de Gestão da Crise de Energia Elétrica (GCE) para garantir que não ocorra mais problemas de abastecimento esse ano e no próximo. Suspensão - Segundo o presidente da GCE, ministro Pedro Parente, com lagos atingindo 52% de capacidade, haverá uma reunião da Câmara que poderá decidir pelo fim das medidas. A expectativa de técnicos do governo é de que, se as chuvas continuarem no mesmo nível atual, esse volume seja alcançado em meados de 15 de fevereiro.Segundo o boletim diário de acompanhamento do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o volume de águas nas barragens das hidrelétricas na região Nordeste alcançou 26,01% da capacidade máxima na noite do dia 14. A expectativa do governo era a de que o nível chegasse em torno de 25% nesse dia. O ONS prevê que no fim deste mês o volume de águas chegue a 34,9% da capacidade. Segurança - O volume mínimo dos reservatórios considerado seguro para determinar o fim do racionamento no Nordeste é de 49% em fevereiro ou 50% em março. O aumento do volume de água dos reservatórios está sendo acompanhado pela economia acima da meta. Nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, o gasto médio de energia desde o início do mês foi de 21.512 MW médios, para uma meta de 23.500 MW médios.A economia de energia do dia 1º a 14 de janeiro encontra-se 8,46% acima da meta. No Nordeste, no mesmo período, foram gastos 4.756 MW médios para uma meta de 5.400 MW médios. A economia de energia na região nos 14 primeiros dias do mês foi de 11,93% acima da meta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.