Reservatórios se aproximam do nível de segurança

O nível de armazenamento dos reservatórios de água do subsistema Sudeste/Centro-Oeste ficou ontem apenas 0,6 ponto porcentual acima da curva de aversão ao risco (CAR), referência do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) para o volume de água necessário nas hidrelétricas para abastecer o mercado de energia elétrica com segurança. De acordo com o informativo preliminar diário de operação, o volume de água armazenado ontem estava em 44,8% da capacidade total das duas regiões, igual ao do dia anterior.Segundo o documento, o nível dos reservatórios no Nordeste permaneceu em 27,2% da capacidade total, mantendo assim a diferença de 17,2 pontos porcentuais para a curva de risco.Cada região (ou subsistema) do sistema elétrico brasileiro tem uma curva de risco, de acordo com a capacidade dos reservatórios e a necessidade de produção de energia. No Nordeste, o mínimo de água armazenada para gerar energia com segurança está em 10%. No Sudeste e no Centro-Oeste, o nível mínimo considerado seguro hoje é de 44,2%. Essa curva de risco é ajustada diariamente. Apesar das fortes chuvas na região nos últimos dias, elas não têm sido suficientes para recompor imediatamente os reservatórios. Segundo analistas do setor, o ideal seria que as chuvas ocorressem nas cabeceiras dos rios, mas até agora a maior parte tem escoado diretamente para o mar.No Sul, o volume de água disponível recuou ontem para 70,6%, contra 71,3% do dia anterior. Com isso, a diferença para a curva de risco é de 50,5 pontos porcentuais. No Norte, o nível dos reservatórios está em 29,5%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.