Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Resgate econômico pode estar muito lento, diz Paul Krugman

Paul Krugman, vencedor do prêmio Nobel de economia de 2008, disse neste domingo que os formuladores de políticas podem estar agindo muito lentamente para lidar com a crise financeira global, mas saudou a escolha de Barack Obama para a secretaria do Tesouro dos Estados Unidos. O economista norte-americano também disse que duvida que o setor automotivo dos Estados Unidos sobreviverá no longo prazo, mas que é válido ajudar o setor no curto prazo. "Os mecanismos simples de produção de um resgate para a economia mundial são muito difíceis. O ritmo sob o qual as coisas estão piorando é tão rápido que é difícil ver como as medidas podem chegar", disse o professor de economia da Universidade de Princeton e colunista do jornal The New York Times em uma coletiva de imprensa. "Mesmo com a melhor compreensão, não é possível chegar a uma solução rápida o suficiente para prevenir uma grande quantidade de danos... eu estou muito preocupado com o que veremos no próximo ano." Krugman, famoso crítico da administração de George W. Bush, disse que está muito satisfeito com a escolha do presidente do Fed de Nova York, Timothy Geither, como o próximo secretário do Tesouro. "O próximo secretário do Tesouro é muito inteligente, muito compreensivo, foi mais rápido ao perceber a vulnerabilidade do sistema financeiro que a maioria das pessoas, mas ele está diante de uma tarefa muito desafiadora." Krugman disse que as montadoras norte-americanas de Detroit -- as três grandes, GM, Ford and Chrysler -- foram atingidas por tendências de longo prazo assim como pela atual crise financeira. "É... a relutância, eu acredito que uma correta falta de disposição, de aceitar a falência de um grande setor industrial -- mesmo que seja um setor industrial em declínio -- em meio a uma recessão muito, muito severa." "No final, essas companhias provavelmente desaparecerão." Parlamentares dos EUA e a Casa Branca estão preparando um plano para ampliar ajuda às montadoras. Krugman disse que não sabia ainda o que fazer com o prêmio de 10 milhões de coroas suecas (1,2 milhão dólares), recebido com o Nobel, e acrescentou que seu email favorito de congratulação pelo prêmio diz: "Parabéns, espero que você possa encontrar um banco ainda de pé."

REUTERS

07 de dezembro de 2008 | 15h48

Tudo o que sabemos sobre:
CRISENOBELRESATE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.