Felipe Siqueira/Estadão
Felipe Siqueira/Estadão

Restituição do Imposto de Renda 2021 não muda com novo prazo da declaração; veja calendário 

Mesmo com alteração da data final para prestação de contas ao Fisco, Receita Federal informa que as restituições serão mantidas nas mesmas datas

Felipe Siqueira, O Estado de S.Paulo

12 de abril de 2021 | 15h51

Mesmo com a alteração do prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda, que foi prorrogado para 31 de maio, nesta segunda-feira, 12, a Receita Federal informa que o calendário de restituições será mantido - sem alterações. Por conta disso, o órgão do Ministério da Economia ressalta, em publicação no site oficial: "quanto antes for enviada a declaração, mais cedo o cidadão receberá a restituição do IR." 

Antes da mudança no prazo de transmissão da declaração, o calendário para entrega tinha término em 30 de abril - data utilizada como padrão. Pelo segundo ano consecutivo, porém, houve acréscimo no prazo, desta vez, de um mês. A Receita explica que isso foi feito para "suavizar os efeitos da pandemia". A informação também consta no site oficial da entidade e foi confirmada pela Receita ao Estadão.  

Confira o calendário de restituição do Imposto de Renda 2021 

  • 1.º lote: 31 de maio de 2021
  • 2.º lote: em 30 de junho de 2021
  • 3.º lote: em 30 de julho de 2021
  • 4.º lote: em 31 de agosto de 2021
  • 5.º lote: em 30 de setembro de 2021 

Vale a pena declarar o quanto antes para receber a restituição? 

De acordo  com o planejador financeiro certificado pela Associação Brasileira de Planejadores Financeiros (Planejar) Flávio Pretti, o contribuinte precisa levar em consideração se terá algum valor a pagar ou a receber ao decidir se vale a pena declarar o quanto antes. 

Se o contribuinte tiver direito à restituição - valor que a Receita considera que foi pago como excedente no ano-base - o ideal é enviar os dados logo no começo do prazo ou o mais rapidamente possível, pois o pagamento segue a ordem de chegada das declarações, com as exceções relativas às prioridades previstas em lei. 

Agora, quando se tem valor a pagar, é preciso ficar atento a outra data: o dia 10 de maio. Esse é o limite para que o contribuinte opte por pagar o imposto devido por meio de débito automático já a partir da primeira cota, utilizando a conta bancária informada na entrega da declaração. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.