Resultado da balança mantém tendência de aceleração de importações

A balança comercial da primeira semana de outubro manteve a tendência de maior aceleração das importações que das exportações, verificada nos últimos meses. O crescimento da média diária de desembarques foi de 27,5%, em relação à média de outubro de 2005. A de exportações (US$ 622,8 milhões na semana) apresentou expansão de 25,8%. No período, entretanto, foi registrado expressivo superávit comercial de US$ 1,129 bilhão, resultado de um total de US$ 3,114 bilhões em vendas externas e de US$ 1,985 bilhão em importações. No ano, as exportações alcançam 103,827 bilhões - o que indica que faltam US$ 31,173 bilhões para que o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) cumpra sua mais recente meta de embarques ao exterior para 2006, de US$ 135 bilhões.Ainda restam 12 semanas até 31 de dezembro, o que sugere a necessidade de o País exportar, em média, US$ 2,6 bilhões por semana para que a meta seja cumprida. As importações acumulam US$ 68,696 bilhões no ano, o que indica também seu crescimento mais expressivo que o das exportações desde o início de 2006. Enquanto os embarques aumentaram 15,9%, na comparação com igual período de 2005, as importações avançaram 23%. ExportaçõesAs exportações de US$ 3,114 bilhões registradas na primeira semana de outubro foram favorecidas especialmente pelos aumentos das vendas de manufaturas (+30%) e de semimanufaturados (+55,2%), cujas médias diárias de embarques tiveram expressivas elevações em relação a igual mês de 2005. O setor de material de transportes, que lidera a lista de exportadores, teve aumento de 3,7%. Em seguida estão os setores metalúrgico (+ 48,9%) e de equipamentos mecânicos (+88,8%). Em volumes menores, estão os eletrônicos (+40,5%) e o suco de laranja (+192,8%). O desempenho das vendas de manufaturas manteve-se em alta mesmo com as quedas verificadas em um setor - o têxtil (-14,6%). Entre semimanufaturados, as exportações de papel e celulose tiveram aumento de 36,1% e favoreceram o desempenho da categoria. As exportações de produtos básicos, que cresceram 7,7%, foram beneficiadas pelos setores de soja (+16,9%), de minérios (+20,9%) e de fumo (+47,3%). ImportaçãoO total de importação de US$ 1,985 bilhão na primeira semana de outubro teve como principal item o petróleo, que respondeu por US$ 429 milhões ou um quinto das compras externas do período. A média diária de compras externas desse item aumentou 53,9%, em relação a outubro de 2005. Com exceção dos produtos farmacêuticos (-28,8%) e dos extratos corantes (-0,3%) todos os outros 20 principais itens da pauta de importação brasileira registraram expressivos aumentos nas suas médias diárias. Os equipamentos eletroeletrônicos cresceram 15,8%, os equipamentos mecânicos, 19,9%, os produtos químicos aumentaram 10,2%, e as aeronaves, 44,0%. O plantio da safra de grãos 2006-2007 elevou em 68,2% as importações de adubos e fertilizantes. Matérias-primas e insumos industriais também apresentaram forte expansão, entre eles, produtos siderúrgicos (+45,6%), borracha (+58,9%), cobre (+139,7%), cereais (+108,8%), filamentos e fibras (+67,2%), alumínio (+36,4%), algodão (+190,4%) e leite (+82,4%). Bens de consumo, como os automóveis, cresceram apenas 4,6%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.