carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Resultado da previdência urbana é negativo pela 1ª vez desde 2007

Déficit foi de R$ 96,8 milhões, uma queda de 105,4% na comparação com o total de R$ 1,781 bilhão verificado em janeiro

Célia Froufe, da Agência Estado,

29 de março de 2012 | 13h51

Pela primeira vez desde fevereiro de 2007, o resultado da previdência urbana ficou negativo no mês passado. O déficit foi de R$ 96,8 milhões, uma queda de 105,4% na comparação com o total de R$ 1,781 bilhão verificado em janeiro (dado corrigido pelo INPC) e de 109,7% ante os R$ 993,7 milhões vistos em fevereiro do ano passado.

O resultado da previdência urbana negativo foi fruto de um aumento de apenas 0,3% das receitas em fevereiro em relação ao mesmo mês do ano passado, para R$ 18,445 bilhões, enquanto as despesas subiram 6% nessa mesma base de avaliação, para R$ 18,542 bilhões.

No acumulado do ano, o saldo da previdência urbana segue positivo, em um total de R$ 1,685 bilhões. O volume, porém, é 19,9% menor do que o visto no primeiro bimestre de 2011 - de R$ 2,103 bilhões.

Conforme os técnicos do Ministério da Previdência, essa diminuição das receitas foi resultado da prorrogação do pagamento de tributos do Simples Nacional e dos Microempreendedores Individuais (MEI), que tinha vencimento em janeiro, mas que foi prorrogado para 12 de março. A expectativa é de que haja um realinhamento das contas com o resultado deste mês.

Tudo o que sabemos sobre:
previdência urbanaSimples Nacional

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.