Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

PIB 'traduz o desastre econômico em curso no Brasil', diz Aécio

'Quem fingiu não saber da crise, hoje finge que governa', afirmou o presidente do PSDB

Ricardo Brito, O Estado de S. Paulo

28 de agosto de 2015 | 13h33

O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), afirmou nesta sexta-feira, 28, que o resultado do PIB "traduz o desastre econômico em curso no Brasil". Segundo dados do IBGE, o PIB registrou uma queda de 1,9% no segundo trimestre em relação ao anterior. "O País cresce menos que quase todos os países do mundo, tem uma das mais altas taxas de inflação entre as economias minimamente organizadas e pratica as maiores taxas de juros do planeta", disse, em nota.

Aécio disse que os especialistas são unânimes ao dizer que o quadro recessivo permanecerá pelo menos por dois anos consecutivos - algo que não ocorre no País há mais de 80 anos. "Quem fingiu não saber da crise, hoje finge que governa".

Segundo o tucano, as estatísticas representam o cotidiano de dificuldades que os brasileiros enfrentam em seu dia a dia, como a alta dos preços e do desemprego em ascensão, queda na renda, aumento do endividamento recorde e do número de pedidos de falência das empresas.

"Ao mesmo tempo, com o arrocho recessivo, o governo dificulta o acesso a benefícios sociais no momento em que os cidadãos mais precisam, especialmente os mais pobres, os que menos têm", disse.

Para o presidente do PSDB, o pior ainda está por vir, "lamentavelmente". "O olhar equivocado da presidente, apontando uma ''travessia'', infelizmente, não enxerga e reconhece o deserto de oportunidades, de perspectivas e de esperança".

Tudo o que sabemos sobre:
IBGEPIB2º trimestreAécio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.