Resultado fiscal do governo central cresce em abril

Com receitas crescentes, o governocentral registrou um superávit primário de 16,7 bilhões dereais em abril, contra 10,7 bilhões de reais no mesmo mês de2007, informou o Tesouro Nacional nesta terça-feira. No quadrimestre, o superávit acumulado foi de 48 bilhões dereais, 14,4 bilhões de reais acima da meta fixada para operíodo. O resultado corresponde a 5,31 por cento do Produto InternoBruto, frente a um superávit de 4,13 por cento acumulado nomesmo período de 2007 e ante uma meta de 2,2 por cento para oano todo. O secretário do Tesouro, Arno Augustin, afirmou que parteda boa performance pode ser atribuída à tendência sazonal de asdespesas serem mais fracas no início do ano. Os resultadostambém estão refletindo, segundo ele, uma conjuntura econômicafavorável, que incrementa a arrecadação, e uma desaceleraçãodas despesas. "Os resultados do primeiro quadrimestre são cíclicos, elesnão serão mantidos como tendência", afirmou Augustin ajornalistas ao comentar a superação da meta. Ele defendeu, nesse contexto, o projeto do governo de criarum fundo soberano, por meio do qual as receitas primárias queexcedam a meta de superávit serão direcionadas para a compra dedólares que financiarão empresas brasileiras no exterior. "O fundo soberano é uma poupança do país", afirmou. "Eletem um papel anti-cíclico e pode absorver situações comoessas." As receitas totais do governo central --que inclui ascontas do Tesouro, da Previdência e do Banco Central--cresceram 25,8 por cento no primeiro quadrimestre frente aomesmo período do ano passado, enquanto as despesas tiveram altade 15,9 por cento. Em comparação que leva em conta a variação real dos fluxossobre o crescimento nominal do PIB, as despesas caíram 2,8 porcento no período, e as receitas tiveram alta de 4,9 por cento. "Os impulsos fiscais neste momento são contracionistas, nãoexpansionistas", argumentou Augustin. (Por Isabel Versiani)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.