coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Resultados dos exames da aftosa no MS são adiados novamente

A revelação dos resultados de análises sorológicas do material colhido de mais de 400 bovinos de Mato Grosso do Sul foi adiada para a próxima quinta-feira, dia 17. Os animais vivem na área de risco situada no extremo sul do Estado, na divisa com o Paraguai, onde foram identificados 17 focos de febre aftosa em Eldorado, Japorã e Mundo Novo, de outubro do ano passado até o início deste ano. A coleta foi feita no dia 3 de julho.O estudo foi encomendado após a conclusão das ações de combate, que incluíram o abate sanitário de 35 mil bovinos. Técnicos sanitários recolheram sangue de bois que não estavam contaminados pelo vírus nas áreas de risco, enviaram ao Laboratório Lanagro no Rio Grande do Sul e aguardavam os resultados finais na semana passada. O anúncio foi transferido para esta terça e novamente adiado para o final da semana.Para o superintendente federal de Agropecuária, José Antônio Felício, a demora pode causar especulações prejudiciais. Ele explicou que "em uma primeira bateria alguns apresentaram reação, mas há informações de que estes animais teriam sido vacinados e isso pode ter interferido no resultado inicial. Não existe animal com a doença na região, mas a notícia sobre a existência do vírus no Paraguai, me deixa apreensivo".Felício afirmou desconhecer o resultado final. Há dez dias recebeu a informação de que os exames não eram conclusivos, necessitando novas pesquisas, o que adiou a finalização. Os adiamentos e a presença de autoridades federais na entrega dos resultados ao Departamento de Saúde Animal no Estado, que acontecerá na quarta-feira, causa um certo temor, segundoum dirigente rural.O coordenador do Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa do Ministério da Agricultura, Nilton Antônio de Morais e técnicos do Grupo Interamericano de Erradicação da Febre Aftosa (Giefa) devem desembarcar nesta terça às 23 horas, em Campo Grande. Eles passarão a quarta-feira reunidos com representantes de produtores e autoridades em sanidade animal. Na quinta-feira comentarão os resultados das análises dessa segunda bateria de testes da febre aftosa no extremo sul do MS. Felício informou que a chegada do grupo é uma mera coincidência, não sendo apenas para divulgar o resultado da sorologia.MissãoO quadro todo surge exatamente com a chegada da missão do Serviço de Inspeção do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, com a missão de inspecionar a produção da carne bovina brasileira. Até o próximo dia 13, os norte-americanos estarão visitando oito estabelecimentos habilitados a exportar carne, quatro em São Paulo, dois no Mato Grosso do Sul, um em Goiás e um no Mato Grosso. Eles serão acompanhados por técnicos do Dipoa (Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.