Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Retomada será tema do Summit Imobiliário

Evento, a ser realizado no dia 16, debateráatuais oportunidades e desafios do setor

Neusa Ramos, Especial para o Estado

09 de abril de 2019 | 04h00

“Retomada em Perspectiva” é o tema da quinta edição do Summit Imobiliário, que será realizado no dia 16 de abril, no Hotel Hilton, em São Paulo, das 9h às 18h. O evento, promovido pelo ‘Estadão’ em parceria com o Secovi-SP, reúne especialistas e os principais líderes do setor imobiliário. Nesta edição, os palestrantes irão debater o gradual reaquecimento do mercado imobiliário, a retomada de investimentos e as novas oportunidades.

O evento contará com a abertura de Seth Weintrob, head global de real estate do Morgan Stanley. O primeiro painel, na sequência, irá debater as políticas públicas para a retomada do setor, que responde por cerca de 8% da população ocupada e por cerca de 9% do PIB.

No setor, há a expectativa de recuperação, ainda que moderada. O otimismo é alicerçado em um conjunto de indicadores econômicos, como a melhora do índice de confiança dos empresários do segmento, puxado pela melhoria da carteira de contratos no fim do ano passado. Outros indicadores considerados positivos são a demanda por crédito, o saldo de empregos no setor, a baixa taxa de juros, a retomada de preços e a redução da inadimplência.

Entre os palestrantes do painel estão André Perfeito, economista-chefe da Necton, Gustavo Alejo Viviani, diretor de Produtos de Crédito & Recuperações do Santander, e Jair Luis Mahl, vice-presidente de Habitação da Caixa.

O segundo painel vai discutir as perspectivas do mercado imobiliário e da habitação de interesse social na visão de investidores nacionais e internacionais. Nos lançamentos de 2018, 65% das unidades foram de 2 dormitórios, 62% possuíam área útil menor do que 45 m² e 51% tinham preço total de até R$ 240 mil. As características que predominaram foram, principalmente, de imóveis econômicos enquadrados no programa Minha Casa, Minha Vida. Entre os debatedores do painel, estão Weintrob, do Morgan Stanley, Miltom D’Ávila, head comercial do segmento imobiliário no Itaú BBA, Carlos Martins, sócio-fundador e gestor responsável pelos fundos imobiliários da Kinea, e Carlos Zanvettor, CEO da Rio Bravo e da Guide Investimentos.

A Lei do Zoneamento será o tema do terceiro painel. Além de São Paulo, onde a prefeitura promete encaminhar à Câmara um projeto com ajustes na Lei de Uso e Ocupação do Solo ainda neste semestre, diversos outros municípios debatem temas relacionados, como a outorga onerosa. O setor de construção, de forma geral, defende o que chamam de calibragem da lei em São Paulo. O painel terá como palestrantes Fernando Chucre, secretário municipal de Desenvolvimento Urbano, e Flavio Amary, secretário de estado da Habitação de São Paulo.

A insegurança jurídica do setor, que enfrenta um longo ciclo de maturação dos projetos, será o tema do quarto painel – com as presenças de George Ibrahim Farath, procurador do Estado, da Assistência e Gestão de Imóveis, e Ely Wertheim, diretor da Luciano Wertheim Empreendimentos Imobiliários, e conselheiro do Secovi. No ano passado, um dos problemas do setor foi resolvido com a aprovação da Lei do Distrato, mas outras questões poderiam estimular o setor, como a definição de critérios para a paralisação de obras.

Os dois últimos painéis do Summit Imobiliário vão discutir temas como sustentabilidade, inteligência artificial, eficiência energética e logística reversa na construção e cases do setor de construção. O primeiro contará com a presença de Antonio Serrano, fundador e CEO da Juntos Somos+, joint-venture de Votorantim Cimentos, Tigre e Gerdau, Marcos Antonio Cardoso, diretor da SysHaus, e Tiago Alves, da Sunew. Entre os CEOs que irão mostrar como suas empresas estão se preparando para a retomada estão Alexandre Frankel, da Vitacon, Wilson Amaral, da Construtora Pacaembu S/A, e Elie Horn, presidente do Conselho de Administração da Cyrela. A programação completa pode ser acessada na internet: www.summitimobiliario.com.br.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.