Reunião do G-20 é transferida do Rio para Brasília

A reunião ministerial do G-20 (grupo formado por países emergentes para defender interesses comerciais comuns) será transferida do Rio de Janeiro para Brasília, permanecendo a data de 12 de dezembro. Segundo integrantes da missão do Brasil na Organização Mundial do Comércio (OMC), a mudança ocorreu para que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva possa ser reunir com os ministros dos países membros do G-20, como a China, Índia e África do Sul.A reunião servirá para coordenar os futuros trabalhos do grupo em um momento decisivo para as negociações na OMC. Segundo a missão do Brasil em Genebra, além dos ministros dos vários países, o encontro deverá contar com a presença do comissário de Comércio da União Européia (UE), Pascal Lamy. O diretor da OMC, Supachai Panitchpakdi, já confirmou presença.O principal debate do encontro deve ficar em torno das propostas de abertura agrícola. O G-20 apresentou, na semana passada, emendas pelas quais os subsídios à exportação dados pelos países ricos aos produtos que concorrem com os países em desenvolvimento deveriam ser eliminados. Já os subsídios internos deveriam ter uma redução substancial. Segundo um estudo feito pelo membros do G-20, o atual modelo de negociações da OMC não permite que os países emergentes aumentem as vendas aos principais mercados do mundo.Segundo a proposta dos países emergentes, os cortes tarifários exigidos para os países em desenvolvimento não podem ser da mesma magnitude que os que são cobrados dos países ricos. Pelo estudo do G-20, o atual texto negociador aponta que os países em desenvolvimento teriam que promover cortes das próprias tarifas entre 45% e 70%. Para os países ricos, as reduções variariam entre 15% e 36%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.