Reunião do NG-5 dá novo impulso a negociações agrícolas da OMC

As negociações agrícolas da Rodada Doha da Organização Mundial do Comércio(OMC), paralisadas desde setembro, quando fracassou a Reunião Ministerialde Cancún, ganharam um novo impulso neste domingo, depois de quatro horasde reunião entre o grupo informal NG-5, formado por Brasil, Índia,Austrália, União Européia e Estados Unidos.Os ministros dos cinco países concordaram que os três pilares danegociação agrícola - eliminação de subsídios às exportações, apoiointerno à produção e acesso a mercados - farão parte do acordo, desde queavancem de forma paralela às negociações de serviços e investimentos,temas de interesse dos países industrializados. A partir do consensoobtido hoje, fica a cargo dos negociadores em Genebra definir o arcabouçode como os três pilares serão trabalhados. Os técnicos têm cerca de um mêspara apresentar seus trabalhos ao Comitê de Agricultura da OMC. Em 27 dejulho, após eventual aprovação do Comitê, a proposta agrícola finalizadaserá discutida pelo Conselho de Ministros da OMC. O Conselho terá cerca deum ano para debater e finalizar a proposta, que será finalmenteapresentada na Reunião Ministerial de Hong Kong, em 2005, marcando o fimda Rodada Doha da OMC, lançada em 2001."Estamos cientes de que há muito trabalho a fazer para avançarmos a pontode cumprirmos o cronograma", disse o ministro das Relações Exteriores,Celso Amorim.

Agencia Estado,

13 de junho de 2004 | 23h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.