Reunião em Davos pode indicar retomada de Doha, diz Lamy

A reunião de ministros de comércio nesta semana em Davos, na Suíça, para as discussões do Fórum Econômico Mundial, pode indicar que eles estão prontos para o relançamento completo da Rodada de Doha, afirmou nesta terça-feira o diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Pascal Lamy. Embora a sessão em Davos não deva tratar diretamente das negociações, ela pode se tornar um trampolim para a retomada das conversas visando a liberalização comercial, que já duram cinco anos e foram suspensas pela OMC em julho do ano passado. "Acredito que possa ter, dependendo da vontade, um sinal de retomada completa das atividades", disse Lamy a jornalistas. A Rodada de Doha, lançada em 2001 logo após os ataques de 11 de setembro para impulsionar o comércio mundial e tentar retirar da miséria milhões de pessoas, foi suspensa por divergências entre grandes potências comerciais, especialmente sobre questões ligadas ao comércio agrícola.Participação brasileiraO ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, embarca nesta terça para Davos, na Suíça, onde participará do Fórum Econômico Mundial até sexta-feira.Além de participar de debates sobre América Latina, biocombustível, inclusão digital e crescimento econômico, o ministro, segundo sua assessoria, terá encontros com representantes de governos e de empresas estrangeiras, ente elas a HP e o Google.Estão agendas audiências com a ministra do Comércio da França, Christine Lagarde; os ministros do Comércio e Indústria da Índia, Kamal Nath e do Desenvolvimento Econômico e de Comércio da Rússia, Herman Gref; a secretária de Comércio dos Estados Unidos, Susan Schwab e os secretários de Economia do México, Eduardo Sojo e de Comércio e Indústria do Reino Unido, Alistar Darling. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva também participará do Forum, em Davos, mas embarcará somente na quarta à noiteCom Rosana de Cassia

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.