Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Revap processa primeira carga de petróleo do pré-sal de Tupi

Refinaria da Petrobrás em São José dos Campos recebe 264 mil barris que serão processados em duas campanhas

Agência Estado,

08 de outubro de 2009 | 15h17

A Refinaria Henrique Lage (Revap), Unidade de Negócios da Petrobrás localizada em São José dos Campos (SP), começou a processar a sua primeira carga de petróleo extraída da camada pré-sal da área de Tupi, na Bacia de Santos. Em comunicado, a estatal diz que foram recebidos 42 mil metros cúbicos (264 mil barris) de petróleo que serão processados em duas campanhas.

 

Veja também:

linkPetrobrás lançará licitação de sondas que beira US$ 20 bilhões

linkPetrolífera francesa Total manifesta interesse no pré-sal

linkProdução de petróleo atingirá seu pico em 20 anos, diz relatório

 

O petróleo de Tupi é classificado como parafínico e de acordo com o fator de caracterização do Bureau of Mine, com grau API de 29,2, equivalente a uma densidade de 0,877. Quanto ao teor de enxofre, este petróleo é classificado como de baixo teor - quanto menor, mais fácil o atendimento às especificações futuras, cada vez mais rígidas para todos os derivados e principalmente nafta e diesel, diz a Petrobrás. Além disso, o petróleo do Campo de Tupi não gera óleo combustível, que é o produto de menor valor agregado.

 

O reservatório de Tupi está a mais de 3.000 metros sob o fundo do mar, abaixo de 2.000 metros de sal, em águas onde a profundidade é de 2.140 metros e a uma distância de 300 km do litoral paulista. Os volumes recuperáveis da área de Tupi estão estimados entre 5 e 8 bilhões de barris de petróleo do tipo alta qualidade, ou seja petróleo leve, além de gás natural.

Tudo o que sabemos sobre:
Revappré-salpetróleoPetrobrásTupi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.