Revisão do acordo Brasil/FMI começa amanhã

A quinta revisão do acordo brasileiro com o Fundo Monetário Internacional (FMI) começará, oficialmente, nesta terça-feira. A primeira reunião de trabalho acontecerá no Ministério da Fazenda, onde o ministro Antonio Palocci receberá o economista argentino Jorge Marquez-Ruarte, chefe da missão, a partir das 10 horas. O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, receberá os técnicos do Fundo na quarta-feira à tarde. A equipe de Marquez-Ruarte deve ficar no Brasil cerca de dez dias. Como de praxe, o FMI e a Fazenda não divulgarão a agenda de encontros. Entretanto, os trabalhos de revisão do acordo normalmente se concentram em reuniões no Ministério da Fazenda e no BC. O principal negociador do lado brasileiro é o secretário do Tesouro Nacional, Joaquim Levy. A aprovação da quinta revisão dará direito ao País de sacar cerca de US$ 8 bilhões do Fundo. Esse será o último saque referente ao acordo de setembro de 2002. Junto com essa última revisão, o governo brasileiro e o Fundo darão início a partir de amanhã às discussões sobre a possibilidade de abertura de um novo entendimento. Caso o Brasil demonstre interesse na montagem de um novo pacote de ajuda, uma equipe da Fazenda deverá seguir para Washington, logo após a conclusão da última revisão do acordo vigente. Um novo acordo só será fechado nessa negociação nos Estados Unidos. As reuniões entre equipes não foi iniciada nesta segunda-feira devido à antecipação da comemoração do dia do funcionário público. O feriado antecipado acabou esvaziando a Esplanada do Ministérios. O ministro Antonio Palocci, por exemplo, não terá expediente hoje no ministério. Os técnicos do FMI só devem chegar à Brasília no início da noite dessa segunda-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.