Revisão indica queda menor no PIB dos EUA no 1º trimestre

Contração da maior economia do mundo ante o mesmo período de 2008 foi de 5,5%, ante 5,7% previstos

Nathália Ferreira, da Agência Estado,

25 de junho de 2009 | 09h35

A contração da economia dos EUA no primeiro trimestre foi levemente menor do que a estimada anteriormente, segundo dados finais divulgados pelo Departamento de Comércio. O Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA caiu 5,5% de janeiro a março, em termos anualizados, ante estimativa anterior divulgada em maio de queda de 5,7%. Economistas consultados pela Dow Jones esperavam que a prévia fosse mantida. No quarto trimestre, a economia teve contração de 6,3%.

 

Veja também:

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise 

 

Os estoques também caíram menos do que o calculado anteriormente, revisados para queda de US$ 87,1 bilhões, de estimativa anterior de declínio de US$ 91,4 bilhões. Essa mudança elevou a estimativa do governo para o PIB geral. Os estoques no quarto trimestre declinaram US$ 25,8 bilhões.

 

Os lucros corporativos após tributos também foram revisados em alta. Os lucros subiram 13,2% no primeiro trimestre em relação ao quarto, para US$ 1,054 trilhão, de estimativa anterior de aumento de 12,9%. No quarto trimestre, os lucros caíram 28,4%. Em comparação anual, os lucros diminuíram 21,8% no primeiro trimestre.

 

O investimento residencial fixo despencou 38,8% no primeiro trimestre, queda revisada em relação à prévia de 38,7%. O investimento residencial fixo no quarto trimestre caiu 22,8%.

 

Os gastos dos consumidores no primeiro trimestre aumentaram 1,4%, abaixo da estimativa anterior de alta de 1,5%, mas bem melhor que o recuo de 4,3% no quarto trimestre. Os gastos dos consumidores representam cerca de 70% do PIB.

 

Os gastos do governo federal diminuíram 4,5% no primeiro trimestre, após aumento de 7,0% no quarto trimestre. As despesas de governos locais e estatais caíram 2,2%.

 

As vendas finais reais de produtos domésticos, que é o PIB menos a mudança nos estoques privados, caíram 3,3%, ante estimativa anterior de declínio de 3,4%. As vendas no quarto trimestre recuaram 6,2%.

As exportações dos EUA declinaram 30,6%, mais do que a estimativa anterior de queda de 28,7%. As importações caíram 36,4%, ante prévia que mostrava recuo de 34,1%. No quarto trimestre as exportações caíram 23,6% e as importações, 17,5%.

 

As empresas diminuíram os gastos no primeiro trimestre em 37,3%, dado revisado ante estimativa anterior de declínio de 36,9%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAPIBrecessão. crise

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.