Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

RI em períodos de crise

Em tempos de incerteza, investidores tornam-se mais seletivos em seus investimentos, demandando informações precisas não apenas sobre os rumos da companhia, mas também sobre como esta pretende atravessar a tempestade. Para esses períodos, é importante reforçar os "três Cs" da comunicação assertiva: Conteúdo, Consistência e Credibilidade.

TEREZA KANETA, PRESIDENTE DA MZ - SERVIÇOS DE RI , O Estado de S.Paulo

19 de dezembro de 2011 | 03h05

Conteúdo é o alicerce da comunicação. O RI, por essência, precisa transformar o conjunto de informações disponíveis (e divulgáveis) sobre a empresa em um case convincente. Mais do que compreender os macro drivers que impactam o negócio, investidores buscam a garantia de que se está fazendo o possível para entregar os melhores resultados, considerando diferentes cenários. A mensagem chave a ser passada é que o navio e a tripulação estão aptas a entregar a melhor performance independente das adversidades.

A pesquisa de benchmarking anual realizada pelo IR Global Rankings mostra que as companhias em todo o mundo vêm melhorando o conteúdo apresentado em seus materiais de comunicação. Nos websites de RI, isso se refletiu na criação de novas seções ou no detalhamento de informações. Somado as mudanças do cenário macroeconômico global desde 2008 e de algumas outras regulatórias do setor, estas melhorias são atribuídas também aos novos questionamentos recebidos pelas áreas de Relações com Investidores. Neste sentido, seguem-se ainda novidades no modo de apresentar estes dados, além de uma abordagem mais profunda.

Entretanto, apenas informação de qualidade pode não ser suficiente para atrair e reter o investidor em épocas de crise. As incertezas tornam o mercado mais conservador, fazendo com que se afastem de ativos de alto risco. E não raramente, companhias com histórico mais recente de sucesso acabam sendo classificados como 'alto risco' simplesmente porque empresas com um histórico mais longo de resultados consistentes podem ser mais fáceis de serem compreendidas. Não à toa, a grande maioria dos IPOs realizados no mundo todo durante 2011 estão classificados como "underwater", isto é, o preço de negociação atual está abaixo do preço no IPO. Isso não significa que exista algo errado com as novas listagens; porém, para investidores, as apostas em companhias mais tradicionais e com histórias conhecidas podem representar um refúgio da volatilidade.

Se a companhia ainda não pode usufruir de um longo histórico de resultados consistentes, pode provar a solidez de seu case de investimento por meio da demonstração de que o negócio foi fundamentado em uma vantagem competitiva clara, que trará robustos retornos no futuro. O papel educacional dentro da atividade de Relações com Investidores torna-se especialmente importante nesses casos - é necessário um esforço adicional para mostrar as bases sólidas e a consistência do negócio. O tradicional disclaimer utilizado pelos fundos - "resultados obtidos no passado não são garantia de resultados futuros" - pode ser aplicado com o racional inverso, demonstrando que a ausência de histórico de sucesso não significa a ausência de retornos consistentes no futuro, mesmo em períodos de incerteza.

A pesquisa do IR Global Rankings identificou ainda que a tecnologia tem desempenhado um papel importante no desafio de auxiliar investidores. As plataformas tecnológicas permitem distribuição mais eficaz da mensagem, com a vantagem adicional de proporcionar um ambiente que coloca em pé de igualdade as companhias dispostas a tornar a comunicação mais transparente. Um gap mais visível na consistência da informação ainda existe entre diferentes regiões analisadas, mas mesmo essa distância vem diminuindo uma vez que a tecnologia tem proporcionado novos canais de troca de informações.

Por último, mas não menos importante, existe a questão da credibilidade. Na bonança ou na tempestade, a credibilidade é conquistada por meio do comprometimento da empresa em fornecer informações de qualidade.

As companhias com melhores RIs são aquelas que conseguem administrar a tríade Conteúdo, Consistência e Credibilidade de modo exemplar. Períodos de incerteza vão e vêm, mas a confiança dos investidores e do mercado permanece intacta quando a companhia está comprometida com os três princípios básicos do mercado de capitais: acesso a informação, transparência e equidade de tratamento. Voltando ao nosso paralelo com os mares, navegar em águas turbulentas pode causar danos à embarcação, mas enquanto existir confiança na tripulação, os incidentes serão reparados. E uma vez atravessada a tempestade, o navio poderá voltar rapidamente ao curso planejado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.