Ricardo Mansur e filhas são processados criminalmente

O empresário Ricardo Mansur , ex-dono do Mappin, Mesbla e do Banco Crefisul e suas filhas Paola Rollo Mansur e Marie Rollo Mansur Bononi, foram denunciados por crimes falimentares pelo promotor Joel Bortolon Júnior. A denúncia foi recebida hoje pela juíza Cristina Agostini Spadoni que instaurou a ação penal e marcou o interrogatório dos acusados para o dia 22 de março.A peça acusatória versa sobre manobras fraudulentas às vésperas da falência Barnet Indústria e Comércio S.A.,. controladora do Mappin e do Mesbla. A empresa quebrou em fevereiro de 2000 deixando um passivo de R$ 600 milhões. Mansur foi denunciado por "ato fraudulento" e outros crimes falimentares - cuja soma das penas vai de 3 a 14 anos de prisão. As filhas responderão apenas por ato fraudulento, pena de 1 a 4 anos.Mansur disse ao Estado que desconhece o teor da acusação, pois ainda não foi intimado e revelou-se surpreso com a inclusão de suas filhas na denúncia, salientando que elas são alheias ao mundo dos negócios. "Volto a reiterar que todos os atos praticados são de minha exclusiva responsabilidade", afirmou.O processo, em mais de 100 volumes revela que Ricardo Mansur doou às suas famílias parte das ações da Barnet. As vésperas da falência os três se retiraram da empresa, ficando à frente dela a secretaria Milena Moraes Cunha e o contador Mauro Ramos de Carvalho.Ao saírem da empresa, as filhas receberam todos os bens imóveis da Barnet, a titulo de pagamento e participação acionária. Paola e Marie constituíram, em seguida, a Market Consultoria em Leilões S/C, capitalizando-a com os bens recebidos do pai.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.