Ricos devem acelerar crescimento para "o bem do mundo", dizem EUA

O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, John Snow, se disse esperançoso que o G-7 (grupo dos sete países mais ricos) aumente o esforço para o crescimento econômico para "o bem do mundo". Ele participa nesta sexta-feira da reunião dos ministros de Finanças e de presidentes dos Bancos Centrais do G-7, em Paris.Ele disse que os EUA estão fazendo a sua parte, com o pacote de corte de impostos de US$ 1,3 trilhão proposto pelo presidente George W. Bush. Snow sugeriu que os países ricos tornem os mercados mais flexíveis e eliminem a "rigidez" da economia. O secretário do Tesouro norte-americano afirmou que o crescimento da economia do G-7 "é essencial para ajudar os países em desenvolvimento, para lidar com o desemprego nos países desenvolvidos e para lidar com as questões orçamentárias do mundo".Snow disse, no entanto, que não planeja pressionar por uma medida específica de política da Europa ou do Japão. "Eles são mais capazes do que eu de lidar com as particularidades do crescimento em suas situações individuais, mas eu gostaria de ver um amplo consenso emergir do G-7 sobre a importância de um crescimento mais rápido sobre uma base global", disse.Espera-se que o impacto negativo sobre um possível ataque dos EUA contra o Iraque esteja no centro da agenda de discussões do grupo. Snow acredita que a questão não será o tema dominante. Contudo, o secretário norte-americano disse que a incerteza sobre os planos de guerra está atrapalhando a economia dos EUA. "É claro que a incerteza sobre o Iraque está criando incerteza sobre a economia", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.