Rigotto: para Lula, ações anticrise são iguais às dos EUA

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a rebater, durante reunião com o comitê gestor do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), críticas da oposição às medidas adotadas pelo governo para combater no País os efeitos da crise financeira internacional. "As críticas são estranhas. Não vejo lógica. É só olhar o que está acontecendo na Europa e nos Estados Unidos. Não tem diferença. São medidas de prevenção que nos dão segurança", disse o presidente, segundo relato do ex-governador do Rio Grande do Sul Germano Rigotto, um dos participantes do encontro de hoje, no Palácio do Planalto.Lula, segundo o ex-governador, se referia às medidas provisórias (MPs) editadas nos últimos dias - a que ampliou os poderes do Banco Central (BC) no socorro a instituições financeiras e a que autorizou o Banco do Brasil (BB) e a Caixa Econômica Federal (CEF) a adquirirem participação e até o controle acionário de bancos e determinados tipos de empresas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.