RIM adia novo BlackBerry e anuncia 5 mil demissões

Em crise, fabricante de smartphones também prometeu reduzir seus custos operacionais em US$ 1 bilhão

TORONTO, O Estado de S.Paulo

29 de junho de 2012 | 03h08

A Research In Motion (RIM), fabricante do BlackBerry, anunciou ontem um prejuízo mais acentuado do que o esperado, seu primeiro em oito anos, e adiou o lançamento da nova geração de smartphones BlackBerry até o início do ano que vem, num movimento potencialmente devastador para a empresa , já em dificuldades.

A canadense RIM disse que seus aparelhos BlackBerry 10 estão atrasados porque a integração de recursos e um grande volume de códigos na plataforma haviam "exigido mais tempo do que o esperado".

Anteriormente, a empresa havia dito que lançaria o novo produto no final de 2012.

Espiral. "Nossa, que desastre", disse o diretor administrativo da Charter Equity Research, em San Francisco, Edward Snyder. A RIM está numa "espiral da morte do mercado de celulares", afirmou o analista.

A RIM, que prometeu reduzir seus custos operacionais em US$ 1 bilhão neste ano, disse que planeja cortar 5 mil postos de emprego, ou cerca de 30% de sua força de trabalho, enquanto as vendas de smartphones BlackBerry caíram acentuadamente pelo segundo trimestre seguido.

Os cortes devem custar US$ 350 milhões à RIM no atual ano fiscal. O analista Shaw Wu, da Sterne Agee, em San Francisco, disse que a RIM precisa ter muito cuidado ao implementar essas medidas.

"Cortes de funcionários não são de graça", disse Wu. "Eles precisam ter muito cuidado para manter seu saldo de caixa. Atualmente, é uma questão de sobrevivência."

Perdas. O prejuízo líquido ajustado da RIM foi de US$ 192 milhões, ou US$ 0,37 por ação, nos três meses até 2 de junho. A receita recuou 33%, para US$ 2,8 bilhões. A RIM havia alertado que registraria um prejuízo operacional, mas não havia fornecido detalhes. Analistas, em média, previam um prejuízo de US$ 0,07 por ação, com receita de US$ 3,07 bilhões.

Há um ano, a RIM registrou lucro líquido de US$ 695 milhões, ou US$ 1,33 por ação, com vendas de US$ 4,91 bilhões.

"Do ponto de vista numérico, é difícil imaginar um cenário pior, e ele só vai se deteriorar a partir de agora", disse Snyder.

A RIM vendeu 7,8 milhões de BlackBerrys no período, ante mais de 14 milhões há dois trimestres. Foi o primeiro trimestre com entregas de menos de 10 milhões de aparelhos desde 2009.

As ações da RIM, que acumularam perda de cerca de 70% no ano passado, caíam 18% na noite de ontem, para US$ 7,50, no after-hours (negociação depois do fechamento) da bolsa eletrônica Nasdaq. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.