Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Rio de Janeiro foi o Estado que gerou mais empregos em novembro

Estado criou quase 32 mil vagas no mês passado, liderando o ranking estadual de contratações pela 1ª vez em oito anos

Edna Simão, da Agência Estado,

16 de dezembro de 2010 | 13h44

O Rio de Janeiro foi o Estado que mais gerou empregos formais em novembro, ao criar formalmente 31.965 postos de trabalho, o que corresponde a um aumento de 0,96% em relação ao estoque de assalariados com carteira assinada do ano anterior. Essa é a primeira vez desde a criação do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), em 1992, que Rio de Janeiro fica em primeiro lugar no ranking dos estados que mais contrataram formalmente. Em novembro, foram criados 138.247 empregos formais em todo país.

Segundo o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, o crescimento do emprego formal no Rio de Janeiro se deve a geração de emprego do comércio (15.531 postos), de Serviços (14.545 postos) e da indústria de transformação (2.534 postos). "O Rio de Janeiro vai continuar puxando o emprego por causa da Copa do Mundo, Olimpíadas em Rock in Rio", afirmou o ministro.

Depois do Rio de Janeiro, aparecem o Rio Grande do Sul com 21.729 empregos criados e Santa Catarina com 12.761. O Estado de São Paulo ficou em nono lugar na lista de 26 estados e Distrito Federal com 4.999 empregos formais gerados no mês. No acumulado do ano, no entanto, São Paulo lidera o ranking. Dos 2,544 milhões de empregos formais gerados no país, 812.821 foram em São Paulo. Em segundo lugar nesta listagem, aparece Minas Gerais (310.236), seguido pelo Rio de Janeiro (200.783).

Em novembro, São Paulo perdeu 35.641 postos de trabalho na agropecuária e outros 14.826 na indústria de transformação, resultado influenciado, segundo o ministro do Trabalho, pela presença de fatores sazonais relacionados ao complexo da agroindústria. O saldo só ficou positivo no mês por conta do desempenho do comércio (32.414) e de serviços (22.867).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.