Comando Militar do Leste
Comando Militar do Leste

Rio está voltando à normalidade, diz Pezão

Com escolta, postos voltaram a ser reabastecidos, transporte público tem maior oferta de ônibus e alimentos são levados pra CEASA

Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

29 Maio 2018 | 08h50

RIO - As Forças Armadas, a Polícia Rodoviária Federal e a Polícia Militar fizeram a escolta, na madrugada desta terça-feira, 29,  de cerca de 300 caminhões transportando alimentos perecíveis da Região Serrana do Estado para a capital, desabastecida de legumes, verduras e frutas por causa da greve dos caminhoneiros.

A operação teve início por volta das 0h30 no Km 29 da RJ-130, e os destinos foram variados; entre eles, estava o centro de abastecimento CEASA-RJ. As informações são das Forças Armadas. 

+++ Governo investiga infiltração de três movimentos políticos na paralisação dos caminhoneiros

O governo do Estado acredita que o Rio já esteja retomando a normalidade. Foram escoltados cinco milhões de litros de combustíveis da Refinaria Duque de Caxias, na Baixada fluminense, um terço do que seria transportado em dias sem greve. Mais postos estão sendo abastecidos. "Normalmente são 15 milhões de litros transportados diariamente. Conseguimos transportar um terço disso hoje (ontem). Queremos intensificar ainda mais amanhã (hoje). Tem um comboio grande saindo agora na madrugada. Acredito que a partir desta noite vai aumentar muito mais o abastecimento dos postos de gasolina e das empresas de transporte", afirmou o governador Luiz Fernando Pezão (MDB).

+++  Veja o que funciona e o que não funciona em SP nesta terça

As remessas priorizaram serviços essenciais e tiveram como destino as prefeituras do interior do Estado. Nesta terça-feira, na capital, escolas municipais reabriram e aumentou a oferta de ônibus e BRT. "Se compararmos o Estado do Rio com outros, avançamos muito aqui. Hoje (ontem) me reuni à tarde com líderes sindicais do setor de transporte de combustível e eles se colocaram à disposição para ajudar a reforçar o abastecimento. Atendemos a demanda deles na quinta-feira passada", disse Pezão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.