Rio estima em R$ 1 bi gasto socioambiental no Comperj

Gastos da Petrobrás em complexo petroquímico envolvem investimentos em saneamento, abastecimento de água e revegetação

Glauber Gonçalves, da Agência Estado,

04 de maio de 2011 | 14h26

O secretário estadual do Meio Ambiente do Rio de Janeiro, Carlos Minc, estimou em R$ 1 bilhão os gastos da Petrobrás com os condicionantes socioambientais relativos ao projeto do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), em Itaboraí (RJ). Os principais gastos envolvem investimentos em obras de saneamento, abastecimento urbano de água e revegetação do entorno de dois rios.

"A ordem de grandeza chega a R$ 1 bilhão. São estes quatro pontos e outras questões ligadas a educação ambiental, que são bem menos pesadas", declarou Minc, em encontro realizado na Secretaria de Meio Ambiente para discutir o tema. Ele explicou que o governo do Estado criou um grupo específico para cuidar das questões ligadas às compensações sócioambientais, do qual também participa o secretário do Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca do Rio de Janeiro, Felipe Peixoto. O objetivo é dar mais agilidade ao andamento dos projetos. Presente na reunião, o diretor de Abastecimento da Petrobrás, Paulo Roberto Costa, não confirmou o valor estimado por Minc.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.