finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Rio registrou deflação em agosto

A deflação voltou ao Índice de Preços ao Consumidor da Cidade do Rio de Janeiro (IPC-RJ), que fechou agosto em -0,05%, em comparação com os 0,11% em julho. O índice já havia apresentado queda de 0,14% em junho. Segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV), o resultado foi provocado pela menor pressão nos reajustes de telefonia e no grupo habitação. Para o indicador de setembro, a previsão é de aumento dos preços."Devido ao reajuste nas tarifas de água e esgoto, que ocorrerá durante todo o mês de setembro, a inflação no IPC-RJ, do próximo mês, já contará com impacto de 0,35 ponto percentual", afirmou o economista FGV e um dos coordenadores do indicador, André Braz.Dos sete grupos que compõem o índice, quatro apresentaram desaceleração de preços em agosto. É o caso de habitação; saúde e cuidados pessoais (que passou de 0,35% para 0,19%); vestuário (de 0,45% para 0,03%) e despesas diversas (de 1,82% para 0,82%). Os grupos a apresentarem aceleração de preços foram educação, leitura e recreação (de 0,04% para 0,17%); transportes (de ?1,33% para ?0,95%) e alimentação (de ?0,66% para -0,23%). O índice leva em conta famílias com renda entre 1 a 33 salário mínimos.

Agencia Estado,

08 de setembro de 2003 | 19h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.