Rio Tinto paga US$ 700 mi a Guiné para encerrar disputa

A empresa Rio Tinto informou nesta sexta-feira que pagará US$ 700 milhões ao governo da Guiné para encerrar uma disputa sobre os blocos 3 e 4 da gigante de mineração de ferro Simandou. Em um documento, a Rio Tinto informou que assinou um acordo para assegurar a permissão de exploração dos blocos da Simandou. Isto irá liberar o aporte de cerca de US$ 10 bilhões em investimentos e o primeiro embarque de minério de ferro deverá acontecer em meados de 2015.

Agencia Estado

22 de abril de 2011 | 16h26

A Rio Tinto assinou um acordo com o governo da Guiné em 2003 para desenvolver o depósito de Simandou e em 2006 recebeu uma concessão de mineração. Em 2008, o governo da Guiné dividiu a concessão em quatro blocos, deixando a Rio Tinto com dois e os outros dois indo para a BSG, que tem uma parceria com a mineradora brasileira Vale. A produção em Simandou está planejada para começar em cinco anos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Rio TintoGuinémina de ferro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.