Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Risco de fraude na internet é maior no Natal

As armadilhas virtuais para roubar a identidade ou a senha de quem acessa a internet costumam crescer com a proximidade do Natal. ?Nessa época há uma enxurrada de troca de e-mails pela internet e uma movimentação grande no comércio eletrônico, o que desperta a atenção de bandidos?, alerta o especialista em segurança eletrônica da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), Marcelo Câmara. O último levantamento das instituições financeiras sobre fraudes eletrônicas, feito em 2005, revela que esse tipo de ocorrência movimentou cerca de R$ 300 milhões de um total R$ 35 bilhões de transações bancárias. No período foram 327 mil ataques. Até setembro foram 129.010 notificações. Em 2006 a soma de incidentes relatados chegou a 197.892 , um aumento de mais de 190% em relação a 2005. ?O ataque é muito mais simples do que se imagina. Não é feito por gênios da internet, mas por golpistas que usam a tecnologia como meio para os golpes de sempre?, diz o também especialista em segurança da Febraban Carlos Iglesias. O ataque, explica, é espalhado pela internet até que alguém caia no conto do vigário.Nas compras de Natal também é preciso cuidado. As lojas virtuais devem movimentar R$ 1 bilhão no fim de ano, segundo previsão da empresa de marketing e-bit. Nesse caso o consumidor deve estar atento a variações de preços muito grandes para um mesmo produto, a lojas que só aceitam como pagamento transferências bancárias ou boletos e a empresas virtuais desconhecidas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE, Agencia Estado

14 de novembro de 2007 | 10h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.