Risco de guerra torna difícil previsão sobre economia, diz Greenspan

O presidente do Federal Reserve, o banco central americano, Alan Greenspan, afirmou em seu primeiro depoimento anual ao Comitê Bancário do Senado que o governo deve "restabelecer a disciplina orçamentária". Ao mesmo tempo, Greenspan manteve opiniões defendidas anteriormente de apoio a cortes nos impostos, observando que um orçamento equilibrado não é positivo se prejudica o crescimento econômico. Sobre as condições futuras da economia, Greenspan disse que a perspectiva de guerra liderada pelos Estados Unidos contra o Iraque criou "formidáveis barreiras aos novos investimentos e também à retomada de expansão vigorosa da atividade econômica geral". "A intensificação dos riscos geopolíticos torna especialmente difícil o discernimento da direção futura da economia", afirmou Greenspan. "Se tais circunstâncias diminuírem consideravelmente no curto prazo, estaremos aptos a informar melhor se estamos lidando com um setor de negócios e uma economia prestes a crescer rapidamente - nossa mais provável expectativa - ou uma (economia) que ainda trabalha com persistentes restrições e desequilíbrios", disse o presidente do Fed. Greenspan observou que o Congresso norte-americano deveria considerar a perspectiva de eliminar o limite de US$ 6,4 trilhões que impõe para a dívida pública, o qual considera "redundante ou inconsistente com a direção das receitas e gastos". O Tesouro deve atingir este limite em 20 de fevereiro e então pedirá ao Congresso sua elevação. O presidente George W. Bush previu déficit no orçamento de US$ 300 bilhões este ano, além da manutenção das contas do governo no vermelho até 2008. Greenspan não ofereceu opinião direta ao pacote de estímulo econômico do governo, avaliado em cerca de US$ 700 bilhões nos próximos dez anos, mas afirmou estar mais preocupado com o aumento nos gastos do que com o corte nos impostos. "O restabelecimento do equilíbrio do orçamento demandará disciplina nas receitas e nas despesas, mas a diminuição dos gastos poderá ser mais difícil", afirmou. As informações são da Dow Jones. Em relatório divulgado paralelamente ao depoimento de Greenspan e encaminhado ao Congresso americano hoje, o Federal Reserve reduziu a previsão de crescimento do PIB americano, reduziu a projeção de inflação para este ano e elevou a previsão sobre a taxa de desemprego.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.