Risco de incêndio leva Agile a recall

Defeito de fábrica pode provocar o vazamento de combustível; convocação da GM envolve 59.714 unidades dos modelos 2010 e 2011

Cleide Silva, O Estado de S.Paulo

28 de agosto de 2010 | 00h00

Lançado há um ano, os modelos Agile, da General Motors, terão de voltar às concessionárias da marca para a substituição da mangueira de alimentação de combustível. O defeito de fábrica pode provocar o vazamento de combustível e, em casos extremos, incêndio no compartimento do motor. O recall envolve 59.714 unidades do modelo, ou toda a produção vendida até agora.

O hatchback Agile é produzido na fábrica da General Motors em Rosário, na Argentina, e a maioria dos componentes é fornecida por fabricantes instalados no Brasil. Os preços do modelo vão de R$ 35,7 mil a R$ 45,3 mil.

A montadora informa, por meio de nota, ter detectado uma "não conformidade no processo de produção, o que pode ocasionar fissuras na camada interna da mangueira de alimentação do combustível".

Embora tenha iniciado a campanha de recall ontem, a substituição da peça dos veículos começará no dia 13 de setembro. Até lá, a empresa vai abastecer a rede de revendas com a nova mangueira e sugere que os consumidores agendem o conserto, que dura cerca de uma hora, a partir de segunda-feira.

Com essa convocação, a primeira feita pela GM este ano, sobe para mais de 1,1 milhão o total de veículos envolvidos em recall no País. Em todo o ano de 2009, foram 723,8 mil unidades.

O recorde de convocações até agora foi registrado em 2000, com 1,71 milhão de unidades que tiveram de voltar às lojas para correção de defeito de fábrica. Naquele ano, só a GM convocou mais de 1 milhão de modelos Corsa por causa de problemas no cinto de segurança.

Ao todo, estão em andamento no País 35 campanhas de recall, sendo 5 delas de motocicletas, envolvendo 187,3 mil modelos de diferentes marcas.

O recall do Agile envolve modelos 2010 com chassis de números entre AR1000003 e AR191692 e modelos 2011, chassis número BR100008 a BR143441. A empresa coloca à disposição dos consumidores o telefone 0800-702-4200 para mais informações.

Também em nota, a Fundação Procon-SP, afirmou que, por se tratar de possibilidade de acidente com risco à saúde e segurança dos usuários e de terceiros, o atendimento ao consumidor deveria ser feito de imediato.

Sem acidentes. Porta voz da GM informou que não houve nenhuma notificação de acidente envolvendo consumidores. Segundo a empresa, o problema já foi corrigido e as unidades produzidas mais recentemente já saíram da fábrica sem o defeito.

O número de recalls vem crescendo em todos os países. Só nos Estados Unidos, uma única montadora, a japonesa Toyota, já convocou quase 9 milhões de veículos nos últimos meses, a maioria de modelos Corolla que apresentaram problemas no sistema de freio. No Brasil, o recall do modelo envolveu 107 mil automóveis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.