Evaristo Sa/APF
Evaristo Sa/APF

Risco do Brasil dispara e fica pior do que o de países sem grau de investimento

Risco-país medido pelo indicador CDS – um tipo de seguro contra calote – está pior do que o de países sem grau de investimento, como Croácia e Hungria, e apenas um ponto mais positivo do que o da Costa Rica, outra economia de grau especulativo

Karla Spotorno, O Estado de S. Paulo

06 de agosto de 2015 | 16h21

SÃO PAULO - O risco-país medido pelo CDS (Credit Default Swap, na sigla em inglês) – um tipo de seguro contra calote – do Brasil disparou nesta quinta-feira (6). O indicador está pior do que o de países sem grau de investimento, como a Croácia e a Hungria, e apenas um ponto mais positivo do que o da Costa Rica, outra economia de grau especulativo.

O CDS brasileiro saiu do patamar de 305 pontos nesta quarta-feira para 323 nesta quinta-feira. O da Costa Rica está em 324 pontos. Com o acirramento da incerteza política, o risco-país brasileiro ficou maior que o da Croácia (267 pontos) e mais do que o dobro do CDS da Hungria (149 pontos).

"O mercado já demonstra que a probabilidade de perda do grau de investimentos é elevada, dado que o CDS está em 323", afirma o estrategista-chefe da XP Investimentos, Celson Plácido.

Entre os chamados cinco frágeis, grupo de países suscetíveis elencado pelo Morgan Stanley, o CDS do Brasil ficou absolutamente descolado e no topo do ranking. O indicador da África do Sul está hoje em 222. O da Turquia está em 243. O da Indonésia, em 185. O da África do Sul, em 222. E o do México, em 137.

Tudo o que sabemos sobre:
risco brasilgrau de investimento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.