Risco exploratório no pré-sal é mínimo, afirma Gabrielli

Presidente da Petrobrás defende a partilha dos lucros em palestra para investidores europeus

Andrei Netto, da Agência Estado,

17 de setembro de 2009 | 13h57

O presidente da Petrobrás, José Sergio Gabrielli, dedicou sua palestra na Bolsa de Valores de Paris a explicar as mudanças no marco regulatório da exploração de petróleo na camada pré-sal. "Não haverá nenhuma mudança nos contratos antigos de exploração do petróleo no Brasil", afirmou. "A maior diferença é o risco exploratório. No início havia muito, e as companhias tinham de receber por esses riscos durante a concessão. Agora a situação é diferente, porque o risco é mínimo. Por que pagaríamos o mesmo se os riscos exploratórios são mínimos?", indagou a investidores europeus. "Por isso, queremos a partilha dos lucros", argumentou.

 

Veja também:

linkPalocci vai barrar mudanças no fundo do pré-sal

especialO novo marco regulatório do petróleo

especialO caminho até o pré-sal

especialMapa da exploração de petróleo e gás

 

Grande parte das dúvidas eram sobre a capitalização da empresa e sobre os prazos do trâmite do projeto que cria um marco regulatório para o pré-sal no Congresso.

 

Gabrielli usou mais de uma hora de discurso, mas os presentes demonstravam ter questões em aberto, em especial sobre o valor que será acordado pelo governo brasileiro aos 5 bilhões de barris que serão concedidos à Petrobrás.

 

Os investidores questionaram detalhes sobre as descobertas já realizadas, mas não puseram em dúvida até aqui a capacidade da empresa brasileira de atrair parceiros estrangeiros.

Tudo o que sabemos sobre:
pré-salGabrielli

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.