Riscos do investimento imobiliário no interior

O investimento em unidades hoteleiras no interior é visto com bastante cautela pelos especialistas, que apostam no potencial apenas de poucas cidades. Vale lembrar que a dúvida passa pelas mesmas premissas do negócio desenvolvido na capital. Ou seja, tem a expectativa de rendimento questionada, pois está vinculada ao valor das diárias, que estão sujeitas à sazonalidade (alta e baixa temporada) da demanda dos hóspedes.Além disso, a capacidade de comportar novos empreendimentos é considerada limitada, portanto, precisa ser muito bem analisada para não frustrar investidores no futuro com a saturação do mercado, como está ocorrendo hoje na capital. A concorrência acirrada e o elevado valor despendido com a manutenção do empreendimento são outros itens apontados pelos especialistas a serem observados. "Existem cidades com foco de atividades concentrado numa mesma atividade, como Franca e Ribeirão Preto, que podem dificultar a expansão do setor", alerta o consultor da Adviser, Oliveira Ribeiro.O sócio da consultoria PJP Gestão e Patrimônio Paulo Possas aposta apenas em Araraquara, São José dos Campos e Campinas. "Essa opção de investimento oferece risco, pois não é qualquer cidade que é interessante." Para o diretor de Marketing da Abyara, Rogério Santos, a expansão em muitas cidades é inevitável, o que pode garantir demanda sustentável. "Em Campinas, por exemplo, há uma concentração de 9% do PIB de São Paulo", diz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.