finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

RJ não terá como pagar compromissos, reclama Cabral

Governador fez alerta à presidente sobre impacto da diminuição dos royalties do petróleo na arrecadação

Sergio Torres, da Agência Estado,

20 de outubro de 2011 | 11h31

O governador do Estado do Rio de Janeiro, Sergio Cabral Filho, disse nesta quinta-feira, 20, em entrevista à radio CBN, que, caso a presidente Dilma Rousseff não vete o projeto aprovado ontem pelo Senado, que diminui a parcela dos royalties do petróleo paga ao Estados produtores, o Rio não terá como "pagar seus compromissos".

Ele falou que já fez este alerta à presidente. "Já disse isso à presidente Dilma. Das 92 cidades do Estado, 87 recebem os royalties", afirmou. O governador reclamou do que qualificou como "desrespeito às regras do jogo". Segundo ele, entre outras áreas que serão afetadas está o pagamento aos aposentados e aos pensionistas, assim como as dívidas do Estado com a União.

O Senado aprovou ontem à noite um novo modelo de distribuição das receitas do petróleo. O sistema garante, já no próximo ano, um bolo de R$ 8 bilhões que poderá ser dividido entre Estados e municípios que atualmente recebem quase nada dos recursos pagos pelas petroleiras que operam no País. Por pressão do Ministério da Fazenda, as perdas da União foram amenizadas e o Rio de Janeiro e o Espírito Santo, responsáveis por 98% da produção de petróleo do País, acabaram amargando uma perda bilionária.

Tudo o que sabemos sobre:
CabralRJroyaltiespetróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.