RJ quer implantar o diesel natural no Estado

O governo do Estado do Estado do Rio firmou parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Agência Nacional de Petróleo (ANP) para implantar o combustível biodiesel no Estado. O programa pretende gerar 45 mil empregos na região norte fluminense, ocupando uma área de 15 mil hectares no plantio de oleoginosas para a produção do combustível que, diferente do diesel tradicional, não é feito a partir de petróleo. Segundo o secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, Fernando Peregrino, a viabilidade do programa depende da liberação, por 15 munícipios da região, de mil hectares cada um para o plantio dos vegetais. Peregrino viajou à Alemanha para buscar um acordo de cooperação tecnológica para a produção do biodiesel. A Alemanha tem cerca de 100 mil veículos utilizando o combustível. De acordo com nota do governo do Estado, o BNDES e a ANP já se comprometeram a participar financeiramente do programa. "O início dos testes de homologação é o próximo passo para a implantação efetiva do programa", diz a nota. Para isso, é necessário que 50 carros circulem 160 quilômetros cada um utilizando o combustível. A Eletrobrás já iniciou um programa para tentar usar o biodiesel na geração de energia em térmicas no Amazonas, substituindo o diesel tradicional.

Agencia Estado,

13 Julho 2003 | 17h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.