RJ Reynolds tem lucro líquido de US$ 139 milhões

A R.J. Reynolds Tobacco Holdings Inc., segunda maior fabricante de cigarros dos EUA, registrou um lucro líquido de US$ 139,0 milhões (US$ 1,56 por ação) no terceiro trimestre de 2002, ante um lucro de US$ 119,0 milhões (US$ 1,22 por ação) em igual período de 2001. As vendas no trimestre caíram para US$ 1,58 bilhão, de US$ 1,62 bilhão no ano passado. O resultado de 2001 inclui custos de US$ 91 milhões decorrente de uma despesa de amortização e US$ 9 milhões resultante de um ajuste ao ganho em 1999 sobre a venda da Reynolds International. Excluindo os itens, o lucro foi de US$ 209 milhões (US$ 2,14 por ação) em 2001. A estimativa da Thomson First Call era de um lucro por ação de US$ 1,54 no trimestre. A R.J. Reynolds reavaliou os seus programas de promoção para o resto do ano, já que seu principal concorrente, a Philip Morris Cos. não mostra nenhum sinal de que amenizará as promoções de preços para defender a sua participação no mercado. A empresa reduziu a estimativa de lucros em 2002 para a faixa entre US$ 550 milhões e US$ 580 milhões, ou US$ 6,05 a US$ 6,40 por ação. No início de setembro, a empresa esperava lucrar em 2002 entre US$ 6,85 e US$ 7,30 por ação. A nova projeção vem em linha com a atual estimativa da Thomson First Call de um lucro por ação de US$ 6,36. A R.J. Reynolds, que vende os cigarros Camel, Winston, Salem e Doral, prevê um fluxo de caixa operacional em 2002 de US$ 300 milhões a US$ 400 milhões, abaixo dos US$ 552 milhões em 2001. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.