Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

RJ: taxas menores no crediário em dezembro

As taxas de juros do crediário cobradas em dezembro foram as menores em termos nominais (sem descontar a inflação) desde o lançamento do Real. Essa é a principal conclusão de um levantamento que acaba de ser divulgado pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac). No início do Plano Real, em julho de 1994, as taxas de juros nominais praticadas no crediário das lojas eram, na média, de 15,02% ao mês, enquanto em dezembro de 2000 ficaram em 6,85%. A queda foi de 54,06%. "O problema é que os juros continuam absurdamente elevados nos financiamentos realizados no comércio. Poucas vezes na história o comércio teve tantos ganhos financeiros quanto o que estão conseguindo atualmente", afirmou Miguel Ribeiro de Oliveira, vice-presidente da Anefac e autor do levantamento.

Agencia Estado,

18 de janeiro de 2001 | 07h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.