RJ terá crédito do BNDES para reconstruir região serrana

O governador do Rio de Janeiro, Sergio Cabral, disse hoje que vai aproveitar que o Estado já possui crédito junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para tomar recursos que auxiliem na reconstrução de região serrana. Segundo ele, o Estado - que ficou dez anos impossibilitado de fazer novos empréstimos por conta de dívidas correntes -, já teria aprovado R$ 1,5 bilhão para ser tomado junto ao Banco do Brasil (BB), de recursos do BNDES. "Estamos aguardando cálculos do valor exato, mas com os R$ 9,5 bilhões já quitados nos últimos três anos e com o que tem por ser pago nos próximos, acreditamos num potencial de R$ 4 bilhões para 2011 e até R$ 13 bilhões até o final do governo", disse.

KELLY LIMA, Agencia Estado

21 de janeiro de 2011 | 13h47

O governador voltou a ressaltar a rápida resposta dada pelo governo federal no caso dos recursos. "A presidente Dilma me liga todos os dias para saber como está o problema da região serrana", disse. O vice-governador Luiz Fernando Pezão destacou que, em "28 anos de vida pública", nunca se viu a liberação tão rápida de recursos.

"Vamos dar vigorosa injeção de ânimo para aquela região. Desde o primeiro dia temos 10 mil pessoas trabalhando na região, entre funcionários de governo estadual, prefeitura, Marinha, Exército e Forças Armadas", comentou o governador, ressaltando a importância econômica da região. Só na área de agricultura, disse Cabral, há pelo menos R$ 270 mil de prejuízos. "Sumidouro é o principal produtor de tomate do Rio de Janeiro, respondendo por 85% da demanda local", destacou. Em Friburgo, segundo ele, são cerca de mil empreendedores prejudicados.

Na próxima semana, segundo o governador, deverão ser anunciadas novas linhas pelo Banco Mundial. "A região tem peso grande economicamente. O PIB (Produto Interno Bruto) do Rio de Janeiro equivale ao do Chile e ao da Colômbia. Há empresas que acabaram e que vamos ter que financiar inclusive a reconstrução", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
chuvasRioBNDEScréditoreconstrução

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.