Rodoanel ficou com consórcio nacional, destaca Goldman

O vice-governador de São Paulo, Alberto Goldman (PSDB), afirmou hoje que o deságio de 61,05% na tarifa de pedágio oferecido pelo consórcio vencedor da licitação do trecho oeste do Rodoanel surpreendeu o governo. "A expectativa era de que não fosse mais do que R$ 2, mas a tarifa a R$ 1,16 foi além das minhas expectativas."A concessão do trecho foi previamente vencida hoje pelo consórcio Integração Oeste, formado pela Companhia de Concessões Rodoviárias (CCR), com 95% do capital, e a Encalso Construções Ltda., com os outros 5% do capital. Esse consórcio ofereceu a menor tarifa de pedágio, de R$ 1,1684. O teto fixado pelo governo para a cobrança do pedágio era de R$ 3. A aprovação final ainda depende de análise técnica, jurídica e financeira da proposta.Indagado se a proposta do consórcio vencedor será validada - o prazo previsto é de cerca de 15 dias -, Goldman destacou: "Não é primeira vez que esse consórcio entra em licitação, portanto, eles devem estar com o todos os documentos em ordem, e provavelmente esse será o resultado final".O vice-governador disse também que o fato de um consórcio nacional ter ganho a licitação "é motivo de satisfação para o governo". E complementou: "É uma vantagem porque atende os interesses do País e os recursos ficam aqui, é uma disponibilidade a mais de recursos".Na avaliação de Goldman, a razão básica do bom resultado deste leilão é decorrente da grande disponibilidade de capitais no mundo inteiro aliada à oferta de bons negócios. "Se é um bom negócio, o capital tem ânsia de obter resultados melhores."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.