Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Rotatur não pretende reduzir preços

A Rotatur, empresa do grupo Varig que opera vôos a preços mais baixos em horários noturnos, anunciou que não vai reduzir seus preços, aumentando a atual guerra de tarifas entre as companhias aéreas. "Nossas tarifas já são muito econômicas e não vamos reduzi-las mais porque senão passaríamos a operar com prejuízo", disse Itaci Sotero, diretor comercial da Rotatur. A empresa do grupo Varig oferece descontos que variam de 30% a 60% dependendo do destino e da época. A empresa analisa a viabilidade de entrar também no mercado internacional. "Estudamos se poderíamos vir a oferecer vôos ligando o Nordeste à alguns destinos da Europa", revelou Sotero. A nova ligação - caso seja viável - seria lançada a partir de julho, unindo algumas capitais nordestinas à destinos na Europa: na França, Alemanha, Itália e Holanda. "Nossos estudos estão tentando descobrir se há realmente demanda para cinco vôos deste tipo por semana". Essa rota internacional utilizaria a estrutura da Varig na Europa e seria feita em parceria com operadoras européias que garantiriam, por contrato, o fluxo freqüente de turistas para o Nordeste. Os vôos seriam feitos em um avião do tipo 767, cujo leasing mensal é da ordem de US$ 350 mil. "Não faremos nada se não tivermos certeza que dará retorno financeiro", concluiu Sotero.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.