'Roubar não é correto', diz Apple sobre decisão favorável contra a Samsung

Empresa comemorou vitória em tribunal na Califórnia que obriga rival a pagar US$ 1 bi por violação de patentes

EFE,

25 de agosto de 2012 | 12h44

A Apple comemorou neste sábado a sentença de um júri americano que ordenou a empresa sul-coreana Samsung a pagar US$ 1 bilhão pelo que a gigante tecnológica americana qualificou como "roubo" de várias de suas patentes.

A decisão emitida na sexta-feira pelo júri de uma corte federal em San José (Califórnia) "envia uma mensagem alta e clara que roubar não é correto", afirmou a Apple em comunicado citado pela "CNN".

"As montanhas de provas apresentadas durante o julgamento demonstraram que a Samsung copiou muito mais do que nós pensávamos", acrescentou a empresa californiana.

O júri determinou que a Samsung violou "intencionalmente" seis patentes de tecnologia e design da Apple para fabricar sua próxima geração de telefones e lançar seu tablet Galaxy Tab.

A Apple reivindicou a originalidade de suas patentes pelo design, pela tecnologia de zoom táctil, pela disposição dos ícones na tela e outros tipos de gestos de interação com a tela.

A companhia fundada por Steve Jobs havia pedido originalmente uma indenização de US$ 2,5 bilhões e a proibição da venda nos Estados Unidos de aparelhos da Samsung que violassem suas patentes.

Por outro lado, o júri rejeitou todas as denúncias com as quais a Samsung replicou o processo, nas quais acusava a Apple de apropriar-se sem autorização de sua tecnologia de 3G e algumas características da câmera de fotos para telefones.

A Samsung anunciou hoje que planeja recorrer do veredicto da corte americana, e que caso que este não prospere, levará o caso ao Tribunal Federal de Apelações.

A empresa sul-coreana insistiu que a sentença "não é a última palavra" na guerra de patentes aberta entre os dois gigantes da tecnologia, que acontece em quatro continentes, ao mesmo tempo em que assinalou que "continuará inovando e oferecendo opções para o consumidor".

Segundo os analistas, a decisão não afetará os últimos produtos das companhias, mas poderia ter um impacto na forma com a qual se desenham os smartphones e tablets, já que outras companhias podem evitar utilizar o software da Samsung, principal porta-bandeira do sistema Android do Google.

A sentença nos EUA aconteceu um dia depois que um tribunal de Seul determinasse que tanto a Apple como a Samsung infringiram algumas de suas respectivas patentes em seus dispositivos móveis, o que resultou em multas para ambas e a retirada do mercado de alguns produtos com essas tecnologias na Coreia do Sul.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.