Ruckauf reafirma intenção de manter o Mercosul

O presidente da Argentina, Eduardo Duhalde, evitou falar de temas econômicos nesta quarta-feira à noite ao chegar ao Hotel Blue Tree Park, momentos antes de se dirigir ao Palácio da Alvorada para jantar com o presidente Fernando Henrique Cardoso.A uma pergunta sobre a desvalorização do real, Duhalde respondeu: "Amanhã (quinta), falamos". O presidente limitou-se a fazer uma saudação à imprensa brasileira, comentando que o momento de sua visita é especial para o Brasil, por causa da campanha eleitoral."É um momento muito especial, a 15 dias das eleições, em plena campanha. É um momento muito especial para todos os países. Desejo muita sorte a este querido país", declarou ele, evitando, em seguida, responder a uma pergunta sobre as perspectivas econômicas da Argentina e do Brasil.O chanceler argentino, Carlos Ruckauf, evitou comentar as declarações do candidato do PT a presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, que nesta terça-feira disse que o Brasil "não é uma republiqueta, não é uma Argentina". Ruckauf argumentou que não queria se intrometer em assuntos do Brasil.Ele reafirmou a disposição de seu país de manter uma relação profunda com o Mercosul. "Apostamos no Mercosul", disse, sublinhando que esta viagem ao Brasil tem como objetivo assinar acordos comerciais e conversar com o presidente Fernando Henrique às vésperas de sua saída do cargo.O chanceler avaliou que um acordo comercial prevendo a possibilidade de aumento da exportação de carros da Argentina para o Brasil em 200.000 unidades por ano será, se for mesmo assinado, "um gigantesco passo adiante". E concluiu: "Vamos assinar tudo o que for acertado".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.