Ruralistas argentinos devem retomar negociações hoje

Depois de mais de dois meses de conflito na Argentina, o governo de Cristina Kirchner e os produtores rurais devem se reunir pela primeira vez para negociar o ponto que detonou a crise. O mecanismo de aplicação dos impostos de exportações (retenções), cuja alíquota passou a variar de acordo com os preços internacionais desde o dia 11 de março, foi o motivo que originou a disputa do campo contra o governo. Os produtores querem que a alíquota volte a ser fixa e com um teto.A reunião entre os quatro representantes das entidades ruralistas será realizada entre hoje e amanhã, com o chefe de Gabinete da Presidência, Alberto Fernández, e o ministro de Economia, Carlos Fernández, segundo informou uma fonte da Casa Rosada à agência oficial de notícias, Telam. O dia e a hora certa da reunião ainda não estão claros porque o governo espera ter certeza de que os produtores rurais vão suspender o locaute e os protestos, a partir de hoje. A dúvida que persiste sobre a suspensão do movimento diz respeito aos grupos mais rebeldes às decisões da cúpula das entidades e que possuem liderança própria, como na província de Entre Ríos, por exemplo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.