Ruralistas argentinos vão travar comércio de grãos

A assembléia de produtores rurais argentinos da província de Entre Ríos, em Gualeyguachú, decidiu hoje pela limitação na venda e compra de grãos e pela permanência do estado de vigilância na rodovia 14, chamada de Mercosul. "Vamos convidar os caminhoneiros que passem por aqui que façam a volta e não passem carregados de grãos", disse o presidente da Federação Agrária de Entre Ríos, Alfredo De Angeli.Ele esclareceu que essa primeira etapa do movimento será "somente a de convidar os caminhoneiros para que colaborem e, depois, quando os dirigentes em Buenos Aires terminarem a reunião que está sendo realizado hoje, serão decididos os próximos passos". De Angeli explicou que a medida visa a não comercialização dos grãos para o exterior e, nesse sentido, também tratará de convencer os caminhões que saem do Brasil a não seguirem viagem.De Angeli disse que ainda não se fala em bloqueios de rodovias para não dificultar a retomada do diálogo com o governo da presidente Cristina Kirchner, mas que os produtores da sua região permanecem de plantão, "em estado de alerta". Desde que o conflito do setor rural com o governo argentino teve início, o núcleo de Gualeyguachú é o que tem marcado a tendência da modalidade de protestos dos produtores. Estima-se que os demais pontos de concentração em todo o país deverão seguir as decisões desta região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.