Ruralistas saem satisfeitos da reunião com Lula, diz Caiado

O presidente da comissão Agricultura da Câmara dos Deputados, Ronaldo Caiado (PFL-GO), afirmou que os ruralistas saíram satisfeitos da reunião de hoje com o presidente Luis Inácio Lula de Silva. "Pelo menos tivemos uma sinalização do presidente de que as dificuldades do setor serão analisadas. Não tivemos sequer isto com o ministro Palocci", afirmou Caiado.Na terça-feira, a bancada ruralista se encontrou com o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, e teve todas as suas reivindicações recusadas pela área econômica do governo. Palocci teria dito na reunião que não liberaria recursos para o setor agrícola porque a bancada ruralista não se esforçava para aprovar projetos de interesse do governo, contou um interlocutor.Na reunião de hoje, o presidente Lula pediu que os ministros Roberto Rodrigues (Agricultura) e Antônio Palocci (Fazenda) negociem durante o final de semana e apresentem na segunda-feira respostas para os pleitos do setor. Ente os pleitos está a liberação de R$ 1 bilhão para apoiar a comercialização de arroz, algodão e farinha de mandioca. Os parlamentares também pedem a recomposição do orçamento do Ministério da Agricultura, que só na Secretária de Defesa Agropecuária teve corte de R$ 100 milhões. Outro assunto é a renegociação das dívidas do setor.O deputado Odacir Zonta (PP-SC) disse que o "tratoraço" da próxima semana está mantido, independente de o governo ter sinalizado com o Plano de Safra e de ter se comprometido em avaliar a situação do setor. Zonta também comentou a liberação de R$ 44 bilhões do Plano de Safra e disse que o montante é pequeno se comparado com a importância do setor agrícola. Na reunião com os parlamentares, o presidente também disse que haverá um reajuste nos preços mínimos de garantia do arroz e do milho. Segundo Ronaldo Caiado, o presidente Lula disse na reunião que aceita as investigações da CPI, mas pediu que os deputados não deixem de analisar assuntos importantes para o governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.