finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Rússia apóia tcheco para chefia do FMI, mas República Tcheca não

A Rússia apontou nestaquarta-feira o ex-primeiro-ministro e ex-presidente do bancocentral da República Tcheca Josef Tosovsky para concorrer àvaga de chefe do Fundo Monetário Internacional (FMI), mas ogoverno tcheco imediatamente rejeitou sua candidatura. O anúncio leva um novo concorrente à vaga dediretor-gerente do Fundo, junto ao ex-ministro das Finançasfrancês Dominique Strauss-Kahn, indicado pela União Européia. Mas a República Tcheca --que deixou o bloco soviético em1989 e juntou-se à União Européia em 2004-- repudiou o nome deTosovsky e endossou o de Strauss-Kahn. O Sr. Tosovsky não é o candidato da República Tcheca",disse o vice-primeiro-ministro do país, Alexandr Vondra, àReuters por meio de um assessor. A Rússia negou que esteja envolvendo política nacandidatura de Tosovsky, que chefiou o BC tcheco de 1990 a 2000e atuou como primeiro-ministro interno durante a crise políticade 1997. A nomeação do tcheco reflete um desejo dos principaispaíses emergentes de quebrar o duopólio da União Européia e dosEstados Unidos nas chefias do, respectivamente, FMI e BancoMundial.

REUTERS

22 de agosto de 2007 | 08h40

Tudo o que sabemos sobre:
MACROFMICHEFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.